24 Agosto, 2017 11:38

Uespi recebe seminário de pesquisa em biotecnologia no Piauí

O Centro de Ciências de Saúde da Uespi receberá o Seminário sobre a Pesquisa e a Pós-Graduação no Piauí – Atualidades e Perspectivas, evento que marcará o início das aulas do segundo semestre no Centro. O seminário será aberto, sem necessidade de inscrições, e ocorre nos dias 12 e 13 de setembro. Ele terá como foco a pesquisa de biotecnologia realizada no estado, e contará com a participação de todas as instituições de ensino superior que tem pesquisadores abordando o assunto.

São parceiras da Uespi na realização do seminário a UFPI, IFPI, Uninovafapi, Renorbio (Rede Nordeste de Biotecnologia) e  a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi). No campo da pós-graduação, o Piauí conta com um mestrado em Biotecnologia na UFPI de Parnaíba e um doutorado por meio do Renorbio, do qual a Uespi faz parte como instituição associada. A intenção da universidade estadual é também propor um novo mestrado profissional na área.

“A ideia básica desse evento é discutirmos a pesquisa e a pós-graduação em biotecnologia no estado, congregando tanto quem já faz pesquisa como quem já participa de programas de pós-graduação, além, também, de quem fomenta a pesquisa no estado, caso da Fapepi”, relata o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Uespi, Geraldo Eduardo da Luz Júnior.

O evento também contará com a presença do coordenador-geral da Capes para a área de biotecnologia, prof. dr. Odir Dellagostin, que proferirá palestra sobre os critérios do órgão para essa área, palestra esta destinada, principalmente, aos coordenadores de cursos de pós-graduação e aos coordenadores de proposta de mestrado e doutorado no campo.

Sobre a importância da integração com as outras instituições, Geraldo continua: “Integrar é sempre importante, nós ainda somos um estado carente em pós-graduação stricto sensu, passamos agora a 50 programas no geral, e há ainda uma concentração muito grande na UFPI. Então, a integração pode possibilitar uma melhor distribuição desses programas, com parceria entre os pesquisadores dessas instituições”, afirma o pró-reitor.

O seminário também fortalecerá os grupos de pesquisa em biotecnologia no estado, ainda segundo Geraldo, já que a união dos pesquisadores promove projetos mais qualificados, que servem tanto para a captação de recursos como possibilita o desenvolvimento científico e tecnológico do Piauí.

Créditos: Jônatas Freitas