23 Novembro, 2017 10:01

Fapepi apoia evento internacional que discute as culturas afro-brasileiras e africanas

Teve início na última quarta-feira (22) e até a próxima sexta-feira (24), em Teresina, o V Encontro Internacional de Literaturas, Histórias e Culturas Afro-Brasileiras e Africanas, o África Brasil. O evento visa proporcionar momentos de reflexão sobre narrativas e cidadania, no âmbito dos estudos interdisciplinares no que tange às áreas de literatura, cultura e história, além de discutir os novos modelos educacionais no atual contexto acadêmico, social e político brasileiro.

O evento recebeu o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) por meio do Programa de Auxílio à Organização de Evento Científico. A abertura do África Brasil, que aconteceu no Teatro 4 de Setembro, contou com a presença de autoridades políticas e acadêmicas, além de apresentações artísticas.

De acordo com o presidente ada Fapepi, Francisco Guedes, o evento é de fundamental importância no atual contexto do país e do Piauí.

“A Fapepi sente-se honrada em ser parceira deste evento. É uma alegria estar contribuindo para a organização de um evento tão necessário na atual conjuntura nacional. Nós estamos na semana da Consciência Negra e o África Brasil se insere neste contexto para refletir, debater sobre a contribuição dos negros e dos indígenas para a formação do Piauí”, afirmou.

Nesta edição também estão sendo realizados simultaneamente ao África Brasil, o VII Colóquio de Literatura Afro-Brasileira e Africana, o IV Salão do Livro Universitário – Saliu/Uespi e o Encontro Internacional de Culturas Afrodescentes e Indígenas da América Latina e Caribe.  

O evento é coordenado pelo professor doutor Élio Ferreira de Souza, que afirmou que o África Brasil tem, dentre seus objetivos, discutir a construção de uma sociedade mais justa.

“No mundo há lugar para todos. Precisamos nos unir neste momento para que possamos construir uma sociedade mais justa, séria e respeitosa. Respeitosa aos direitos humanos, aos direitos étnico-raciais, ao gênero e a toda forma de respeito ao cidadão e à cidadã brasileira e do mundo”, destacou o coordenador.

Segundo a vice-governadora do estado, Margarete Coelho, o evento traz para o meio acadêmico uma discussão necessária, aproximando a academia dos temas que são debatidos durante a programação.

“Discutir vertentes múltiplas na Literatura, História e Cultura Afro-Brasileira é também um reforço necessário nos espaços acadêmicos, que têm matizes das mais diversas possíveis. O ensino, a pesquisa e a extensão precisam aproximar os seus membros desta temática”, destacou.