Os Presidentes

 

OS PRESIDENTES DA FAPEPI

 

O primeiro a assumir a presidência da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí foi Elmano de Almeida Férrer (1994 a 1995). Ele foi nomeado em dezembro de 1994, no governo de Guilherme Cavalcante de Melo, e neste período centrou sua gestão na estruturação da instituição e a formação do quadro de pessoal com servidores recrutados de outros órgãos, entre eles da Secretaria da Indústria e Comércio e Secretaria da Administração. Os primeiros servidores a serem lotados na Fundação, em 1995, foram Maria Gorete de Sousa Melo, proveniente da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio, Ciência e Tecnologia, e Bertoldo Domingues dos Santos, oriundo da Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais - CEPRO. Ambos estão, até hoje, exercendo suas funções na instituição.

Maria de Fátima Aquino Matos foi a segunda presidente da Fundação. Ela foi nomeada em 20 de março de 1996, pelo governador Francisco de Assis de Moraes Sousa, e seguiu até o ano de 1998 à frente da instituição. Em quanto isso a professora Maria Dulce Silva passou a ocupar o cargo de diretora técnico-científica, no lugar de Luiz de Sousa Santos Júnior. A meta nessa gestão foi organizar a instituição, criar, implantar e capacitar o quadro de pessoal, especialmente na área de informática. Também foi criado o Fórum Estadual de Ciência e Tecnologia para definir e deliberar as prioridades de C&T no Estado.

O terceiro presidente foi Valdionor Albuquerque Barros, que assumiu em 1º de janeiro de 1999, nomeado pelo governador Francisco de Assis de Moraes Sousa. Seu mandato foi de apenas um ano e meio e sua gestão teve como principal atividade cursos voltados para professores, alguns convênios fechados em parceria com a Universidade Federal do Piauí (UFPI) e outros com o governo federal. Nessa época, as dificuldades eram muitas, pois havia apenas 12 funcionários e sem dotação orçamentária para a Fundação.

Marta Maria dos Santos assumiu a Fapepi em 06 de julho de 2000, entretanto, ela ficou somente cerca de quatro meses como presidente. Já Antônio de Pádua Costa Lima, que assumiu o cargo em 27 de outubro de 2000, permaneceu no cargo até 30 de novembro de 2001, no governo de Francisco de Assis de Moraes Sousa. Na ocasião de sua saída, Maria de Fátima Aquino Matos foi nomeada interinamente, conforme decreto do governador Hugo Napoleão, que foi conduzido ao cargo após cassação de Francisco de Assis de Moraes Sousa. Fátima Aquino exerceu o cargo até 31 de dezembro de 2002.

Em 2003, com a eleição vencida por Wellington Barroso de Araújo Dias para o Governo do Estado, assumiu o sétimo presidente da Fapepi, o Prof. Dr. Acácio Salvador Veras e Silva. Nomeado no dia 1º de janeiro de 2003, ele ficou no cargo por oito anos, durante os dois mandatos de Wellington Dias. Acácio Veras, que foi o primeiro pesquisador a se tornar presidente da Fundação, fez algumas alterações no Estatuto e Regimento Interno da Fapepi. Uma delas é que o atual diretor presidente também é o presidente do Conselho Superior. Implantou vários programas e projetos, como o PBIC-Jr, Programa DCR, PPP, PP-SUS e também efetivou importantes convênios. Outro projeto consolidado até hoje é o Informativo Científico Sapiência, que obteve reconhecimento do CNPq, que concedeu ao mesmo o Prêmio Menção Honrosa, em 2006, dentro do Concurso José Reis Veloso. Acácio Veras também foi um dos incentivadores da criação do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (CONFAP), sendo, inclusive, vice-presidente entre 2009 e 2011.

Em 15 de abril de 2011, foi nomeada a Profª Dra. Bárbara Olímpia Ramos de Melo, na gestão do então governador Wilson Nunes Martins. A professora, que permaneceu na presidência até 28 de janeiro de 2014, orientou sua gestão no sentido de manter os programas vigentes e implantar novos, procurar parcerias juntos aos órgãos estaduais e do Governo Federal e estreitar o diálogo com os pesquisadores, procurando atender às demandas da comunidade científica.

 O nono presidente da Fapepi foi o professor Francisco Soares Santos Filho, nomeado pelo então governador Wilson Martins em 28 de janeiro de 2014. De 15 de abril de 2014 a 31 de dezembro do mesmo ano, a Fundação foi presidida por Félix Raposo Filho, nomeado pelo então governador Antônio José de Moraes Souza Filho.

Em 01 de janeiro de 2015, assumiu a presidência Francisco Guedes Alcoforado Filho, nomeado pelo governador Wellington Dias. Desde então, o atual presidente tem buscado fomentar investimentos e parcerias para estimular a pesquisa e levar o desenvolvimento científico, tecnológico e inovação para todo o Estado, a fim de estreitar os laços entre governo, academia e setor produtivo, para que a pesquisa se aproxime cada vez mais das necessidades da população. Assim os três pilares que marcam a atual gestão da Fapepi são a popularização, interiorização e internacionalização da ciência no Piauí.